quarta-feira, 9 de março de 2011

Professor universitário! se liga!

Quem foi que disse que o problema nas universidades é apenas o número de vagas, resultando em uma corrida por um lugar nestas grandiosas e intocaveis instituições? quem disse que o problema é apenas a antipatia dos seus funcionários ? quem disse que se trata apenas das precárias instalações das universidades públicas, que dão vergonha nos alunos quando levam visitantes que ficam olhando para os banheiros sem descarga ou corredores sem iluminação com seus ventiladores defeituosos? Isso sem contar os trotes nos calouros, que ainda existem. O problema, por incrível que pareça, além de tantos outros, são os professores universitários (NÃO TODOS) QUE ISSO FIQUE CLARO!! que insistem em impedir o repasse de conhecimento! bicho!! eles não entenderam ainda, esses raros seres humanos, que de forma alguma são donos do conhecimento! eles o receberam como qualquer outra pessoa. O que eu quero dizer com isso? quero dizer que ainda existe profissional dessa categoria, que cruza as pernas e os braços na frente da turma, num patético ato vaidoso e nitidamente rebuscam as palavras, dificultam o vocabulário, tornam tudo erudito, até o que parece impossível ser. O que ele acha que está fazendo? por acaso ele acha que o Einstein, ou Darwin, ou Lavoisier, são seus colegas? ou será que pensa que deram a ele uma procuração, para agir como bem entende. Professor universitário!!! se liga!! o seu compromisso é com a sabedoria de seus alunos, com o repasse de conhecimento, com o entendimento daqueles que estão abaixo do senhor, apenas por saberem menos, ou por terem menos leitura, mas nunca pelo simples fato de ainda não serem doutores. O professor não tem o direito de "vomitar" sua vaidade nos alunos. Os alunos não estão competindo com ele. Na minha opinião, isso seria um dos principais motivos do atraso na educação superior no Brasil. Isso sem falar nas dificuldades geradas pelo poder público. Será que já não basta a falta de investimento público em educação e saúde. É claro que eles nunca vão investir nessas duas coisas. É fácil manipular um povo sem saúde, e que AINDA não sabe cobrar seus direitos. Mas isso é um outro problema. Pessoal!! o que eu tento dizer, é que sou testemunha do que estou falando. Existem professores que entram em sala, e de uma forma extremamente irritante, tentam ser o que os professores renomados  são. Trata-se de uma tentativa de subir, sabe Deus pra onde! uma busca desesperada para ser igual ao outro, de ser respeitado como o outro, como se estivesse tentando "subir na empresa".  Entram discaradamente em um mundo que muitas vezes não lhe pertence, mas sim lhe foi apresentado. Mas ele (professor) não está sendo ele mesmo, apenas está indo atrás de um bonde, que só poderá levá-lo a um lugar: ao território dos homens vaidosos e arrogantes, que na minha opinião, não combina, em nada, com a grandeza de ser um educador, um repassador de conhecimento. O professor diz: "...todos catavam uma melodia simples, porém emotiva, acompanhada de um fremente estalar das mãos, num anual encontro em lugar previamente escolhido, sercado de convidados, com o intuito de preitear o aniversariante". Porra!! POR QUE NÃO DISSE LOGO QUE É UM PARABÉNS PRA VOCÊ!!!


                                                                        É mais ou menos isso! mas não para por aí! ainda continuo nessa!!! mais tarde!


                                                                                            um abraço


                                                                                                                       Márcio Lima

Um comentário:

Edson Lima disse...

Concorco plenamente com você. A vaidade, o estrelismo, nas salas de aula praticado pelo professores de graduação tem que acabar. Eu não aguento quando um cara que tbm passou pela graduação diz que não gosta de lecionar nas turmas de graduação. Que gosta de pós e no fim o que realmente importa é mostrar que ele domina o conhecimento dito erudito e que sua intelectualidade é superior a dos ingressantes. Eu fico puto quando professores esfregam na nossa cara suas leituras. POrra...estamos começando. Por causa disso estou sempre em correria com minha leitura...me sinto manipulado...e preciso ler bastante...pois não tenho o que Bourdier chama de capital cultural, por ter nascido de familia humilde. Eles acham que temos que chegar na faculdade com Voltaire, Rousseau, Diderot, Nietzsche, Pascal na ponta da lingua.
Chega de tortura psicologica, chega de humilhação, chega de acabar com sonhos alheios, chega de ser um número, chega de ser quem não somos.